Você sabe o que é personalidade?

loremipsum // 27 de abril de 2016

Eu estou tão feliz com os frutos que o blog está gerando!!

É com muuuuuuito amor que eu apresento para vocês um destes frutos :). A partir de hoje, uma quarta por mês nós vamos ter a participação da Aline Salgueiro.

A Aline tem 28 anos, casada, psicóloga clínica e organizacional, mestrando em “família e gênero” pela Universidade de Lisboa – Portugal e vai nos ajudar com os assuntos mais técnicos da educação dos nossos pequenos.

Para começar nós faremos um série chamada Como colocar limites nos filhos, que vai nos ajudar a entender este mundo.

Agora é com ela 😀
*****************************************

Então vamos lá, o que é personalidade? Trata-se de um conjunto de traços e características psicológicas que determinam os padrões do pensar, agir e sentir. Há uma organização dinâmica dos aspectos cognitivos (aprendizado, memória, percepção, pensamento…), afetivos, relacionais e biológicos de uma pessoa. Como diria minha vó, “trocando em miúdos” personalidade é a maneira como a criança (neste caso) se comporta em casa, na escola, no parque, na igreja e no meio social em geral, como demonstra afeto e usa sua cognição.

E como essa tal personalidade é formada? Ela se dá pela junção de dois fatores básicos: genética e meio social. Para determinada linha teórica da psicologia, os cinco primeiros anos são fundamentais na formação da personalidade, eu particularmente, gosto muito de uma escritora norte-americana que defende a tese da formação até os três anos.

Essa formação é construída na relação/influência com os pais, professores, coleguinhas da escola e por diversas influências sociais que a criança tem contato. Logo, é nesta fase que há a necessidade de um cuidado e atenção maiores.

Repare (com bons olhos, por favor…rsrsrs) nas crianças do seu convívio (de até 3 anos) e me diga se estas criaturinhas já não tem a estrutura de sua personalidade formada, se já não sabem bem o que querem e expressam isso claramente (isso quando não tentam impor aos pais), dizem o que gostam ou deixam de gostar e quando menos esperamos se comportam de maneiras que nos deixam de “boca aberta”.

O que muito tenho visto, enquanto psicóloga, são pais subestimando a capacidade de seus filhos, PRINCIPALMENTE, enquanto são crianças. Os pequeninos têm uma capacidade muiiitoooo além do que imaginamos. Um serzinho de 1 ou 2 anos tem SIM o poder de manipular um adulto de 30. Primeiro, eles já começam com vantagem pelo fato de os pais acharem que ele é totalmente indefeso e inocente e jamais terão segundas intenções, mas eu tenho que te dizer e preciso que você acredite, desde quando eles vêm ao mundo já exercem a intenção de nos manipular e conseguirem o que desejam, e quando descobrem uma tática que funciona, aíprooooonto, querem mesmo tomar conta do pedaço.

E em segundo lugar, vivemos em uma era totalmente tecnológica e com muitos avanços, onde as crianças têm recebido estímulos visuais, auditivos e tantos outros com uma velocidade assustadora. Isso tudo, sem dúvida alguma, tem influenciado a personalidade de todos nós e principalmente das crianças (já que estão em processo de constante aprendizado). Hoje, os pequeninos observam tudo ao redor sem perder um movimento, guardam informações precisas e parece que na hora H soltam e muitas vezes nos deixando de “saia justa”, isso quando não as processam e formam suas próprias ideias (que até arregalamos os olhos com o que ouvimos…rsrs)

Querem ver?Se você acostumar seu bebê a sempre dormir na sua cama (e aqui não estou condenando casos de real necessidade), a primeira vez que você quiser que ele durma no berço e o colocar lá, qual vai ser a reação do pequenino? E aí eu te pergunto, por que ele chora se não está com fome, nem com frio e muito menos com a fralda suja? A resposta é simples: ele aprendeu o que é bom e está tentando (com o choro, por ser um recurso que ele tem) conseguir o que quer e tanto deseja, estar pertinho da mamãe e do papai!!!!!! Entendeu?

E por aí vai, as crianças vão criando recursos (na tentativa do erro e acerto, o que funciona e o que não funciona), para conseguir o que querem. Esse é um dos motivos que muitos, mesmo depois de crescidos, continuam fazendo a tão pavorosa BIRRRAAAAA. Afinal, aprenderam que com ela conseguem o que querem.

Como eu sempre digo, ser humano e comportamento não tem “receita de bolo”… cada um é composto por suas complexidades (Ufaaa… e que bom que é assim), mas existem sim caminhos e nortes que juntas(os) podemos traçar. Espero ter contribuído um pouquinho para que você tenha uma luz sobre o assunto personalidade. E um recadinho que deixo é: observe seu filho e/ou filha, tente olhar para estes sem ideias pré-concebidas, pois assim você terá mais facilidade para compreendê-lo (atender como o pequeno “funciona”) à partir daí buscar recursos (internos ou não) para uma educação ASSERTIVA.

Se PUDER deixe seu recadinho aqui embaixo pra gente, dizendo se concorda ou não com o que foi “dito” e nos conte suas experiências da maternidade (ou até mesmo como tia, avó, amiga etc….) vamos adorar receber seu comentário.

IMG_1405