Terrible Two – A adolescência do bebê

loremipsum // 22 de março de 2016

E então afinal o que é e para que serve este Terrible Two?

O Terrible Two é na verdade uma fase de desenvolvimento em que o bebê começa a se entender por gente e quer testar todos as limite, tomar decisões etc. Ela pode começar já com  1 ano e meio até os 3 anos de idade.

Se eu for responder para o que serve esta fase apenas com os ânimos destruídos de uma mãe eu provavelmente seria tendenciosa. No caso não quero ser então prefiro ficar com a resposta soando e ecoando aqui na minha mente apenas 😉 Mas para o bebê é um momento importantíssimo, o momento em que ele está pronto para começar a enxergar limites e outras muitas coisas mais.

A Valentina sempre foi o bebê das vontades, quando ela nasceu se alguma coisa não estava bom ela reclamava sem dó. Frio? Ela reclamava! Calor? Ela reclamava! Fome? ela reclamava! Colo? Ela reclamava! Mas não era uma reclamação baixa, se é que vocês me entendem.

Quando ela descobriu que podia ver o mundo na posição sentada, nunca mais que ela queria ficar deitada (isso aos 2 para 3 meses) e eu tive que me render e pagar uma fortuna em um Bumbo para conseguir fazer alguma coisa na casa e da vida. E quando ela descobriu que uma pessoa podia ficar em pé então? Mas confesso que aos 10 meses, quando ela começou a andar, foi um alívio tremendo. Ela só queria ter liberdade para andar e descobrir as coisas por ela mesma.

Graças ao bom Deus eu descobri a linguagem de sinais para os bebês e já com 6 meses eu comecei a ensinar. Isso economizou em pelo menos metade das reclamações, já que ela sabia dizer perfeitamente se queria comer, dormir, água, tomar banho, pedir por favor, pedir mais e aí por diante.

Mas adivinha só o que aconteceu agora que ela entendeu que ela é um ser humano e que pode mesmo ter vontade?

Oi Terrible Two, eu não gostaria de lidar com você, mas já que não tem jeito peço apenas MUITA paciência.

Ela que já era reclamona por identidade própria, agora pede alguma coisa e quando vamos dar ela diz: Não! Espera chegar no limite do EU NÃO VOU FALAR DE NOVO SOBRE ISSO COM VOCÊ VALENTINA!

Como é difícil manter a paciência e lembrar que é neste momento que você consegue ensina muitas das coisas que a criança precisa para lidar com a maioria dos sentimentos que ela vai ter durante a vida.

Ela ainda não se jogou (Amém?!), não fez um show no mercado ou nada que fizesse as línguas julgadoras começarem a falar e destilar seus venenos de “perfeição”, que diga-se de passagem nenhuma criança vai ser… perfeita!

O que estou fazendo para lidar com isso? Tenho sido firme no que digo, se digo que ela vai ter uma consequência (que posso cumprir) se não obedecer ela realmente tem esta consequência. Dou as opções plausíveis para ela mesma escolher.

O negocio e saber que neste momento precisamos saber usar o “problema” a nosso favor e as vezes fazer com eles participem das decisões pode ser muito valido. Conversar e explicar para eles o que está acontecendo e o porque você não vai ou vai fazer alguma coisa faz muita diferença.

E por fim, ora a Deus minha filha porque só assim para ter a força para passar desta fase. 😉
E por aí? Quem mais passando por isso?
O que você tem fez ou tem feito?
Terrible Two - Tamires Heredia