O aborto retido e a superação

loremipsum // 13 de dezembro de 2016

Nossa, quanto tempo sem passar por aqui!
Preciso começar pedindo desculpas para as pessoas que insistentemente ainda entram por aqui, esperando uma atualização desta jornada maluca que estamos fazendo.

Se você está ligado nas redes sociais já deve ter visto o video que eu fiz explicando o porque do sumiço. Você pode assistir o video caso não tenho visto, mas hoje eu queria falar mais coisas sobre o assunto. Gostaria de verdade que outras mulheres que passaram ou estão passando por isso pudessem ler isso. É bem verdade a possibilidade de que nem todas as mulheres, que passam por um aborto espontâneo, devem sentir o que eu vou relatar abaixo. Mas eu acredito fielmente que pode ajudar muitas mulheres e por isso farei o relato.

Se você está pegando o bonde atrasado eu vou resumir:

Eu estava em um parte de nossa viagem maluca em família e descobri que estava grávida (em Londres). Depois de umas semanas fomos para a Itália e eu tive dois sangramentos que foram acompanhados por ultrassom, com resultados de uma gestação normal. Com 10 semanas fui para Londres e um novo ultrassom descobri que o o bebê tinha parado de se desenvolver com quase 9 semanas.

No final disso tudo resolvemos que o melhor seria antecipar meu voo e o da minha filha (2 anos) para o Brasil e fazer o procedimento de curetagem lá. Assim fizemos e já se vai um mês de não mais gravidez!

Agora vem a parte que eu gostaria de expor aqui e eu confesso que não é simples falar, mas além de me ajudar eu sei que pode ajudar outras mulheres que estão recentemente passando por isso.

Por muitas noites eu ainda me pego chorando, sentindo uma dor emocional de um momento que eu não gostaria que tivesse se interrompido. Mas as mesmo tempo eu sinto paz por ter o conforto de Deus ao meu lado quando oro e quando abro a bíblia para ouvir o que ele tem para me dizer. Não me pergunto nem por um só segundo “o Por que” disso tudo, sigo confiando que Deus tem o controle da minha vida e que os planos dEles são sempre melhores que os meus, tanto que eu nem consigo imaginar.

Escrever aqui tem me feito quebrar uma barreira própria de expor meus sentimentos e pensamentos. Depois que eu escrevo, eu paro para ler e confesso que tenho vontade de não postar por me sentir muito exposta, mas quando eu penso que posso ajudar alguém eu simplesmente sigo.

Eu me coloco aqui a disposição para falar com você que está lendo tudo isso e talvez queria conversar. Fique a vontade para me escrever 😉